Do filme ao download – uma cartografia lomo

Proponente: Grécia Falcão

Sob um cotidiano saturado de fenômenos, a paisagem contemporânea dá lugar a narrativas múltiplas, conectando diversos domínios e ultrapassando as fronteiras entre o passado e o presente, entre o análogo e o digital. Se até então a fotografia analógica era considerada antiquada, hoje as limitações do filme se tornaram potencialidades diante do jogo com a materialidade do aparato analógico.

Se por um lado o retorno à materialidade analógica parece reconstruir certos vínculos fotográficos sob a busca de uma experiência estética diferenciada, por outro tal movimento se estabelece em constante tensão com o universo imagético digital. Neste cenário, nos interessará investigar as condições de possibilidade da visualidade contemporânea – seus modos de presença, produção e circulação no presente – que dão a ver a sobreposição de técnicas fotográficas no lugar da distinção entre propriedades analógicas e digitais.

Assim, a proposta deste estudo concentra-se nos cruzamentos destas práticas, suscitando a continuidade de uma cultura visual vigente. Entre imagens, onde passado e presente coexistem, a noção de “origem” em Walter Benjamin e de “anacronismo” em Didi-Huberman nos ajudará na construção da visualidade contemporânea, percebida sob traços persistentes em imagens e questões de outros tempos históricos, inscritos num conjunto de tensões e relações de mediação.

Na emergência de tais questões, o estudo da prática lomográfica – principal movimento de popularização da fotografia análoga – nos indica um caminho interessante para vislumbrar as associações que reposicionaram o analógico sob a esfera digital e vice-versa, pensando até que ponto se torna válido opor certos processos fotográficos. Ou seja, para além de uma discussão sobre a natureza material das práticas e objetos, espera-se que, sob o circuito da imagem lomográfica, possamos antever a produção discursiva que suscita os atuais cruzamentos e/ou fronteiras entre as tiragens fotomecânicas e numéricas.

CONTROVÉRSIA: Se a lomografia – principal movimento analógico contemporâneo – se dá, majoritariamente, na web, até aonde podemos falar numa bipartição analógico/digital?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s